12 . 3909-1300 contato@liderserv.com.br

Existem vários tipos de tratamento de esgoto, porém cada um é aplicado de acordo com as condições física, químicas e biológicas da água, considerando ainda os recursos naturais existentes.

Umas das atividades mais essenciais para a sobrevivência dos seres humanos na sociedade é o serviço de saneamento básico. Essa atividade consiste em limpeza urbana, manejo de resíduos sólidos para combater pragas, como ratos e baratas, por exemplo, e o tratamento de esgoto, uma das principais e mais necessárias intervenções nas cidades. Entretanto, muitas pessoas desconhecem o que é e quais os tipos de sistema de tratamento de esgoto, o que acaba prejudicando alguns moradores no momento de reivindicar esse serviço.

Apesar de ser uma das principais atividades do saneamento básico, o tratamento de esgoto não é o único procedimento que visa manter a saúde da comunidade como um todo, ele também possui outros tipos de serviços que são essenciais para que os cidadãos de grandes e pequenas cidades e das áreas rurais conseguirem viver. Para ter noção do tamanho da importância do tratamento de esgoto para a população, a Organização das Nações Unidas reconhece o saneamento básico como um direito de todos os humanos desde 2016.

Quais as atividades do saneamento básico e porque ele é tão importante?

Quando o assunto é tratamento de esgoto, é normal ver número que revelam como o saneamento básico não é um direito, como a ONU estipula, mas sim um privilégio de algumas pessoas no Brasil. Em 2016, quando teve o último levantamento sobre os números de residências que possuem os serviços de distribuição de água, coleta e tratamento de esgoto, o Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) revelou que somente 44,9% de todo o esgoto nacional é tratado, sendo que 51,9% dos resíduos produzidos são coletados.

Esses números revelam que mais da metade do esgoto produzido no país não é tratado, sendo diretamente despejado na natureza, ocasionando em grandes prejuízos ecológicos e problemas de saúde nas pessoas que moram próximas aos locais de despejo. Por ano, mais de 5,2 bilhões de metros cúbicos de esgoto são enviados para nascentes de rios e córregos sem nenhum tipo de tratamento ou coleta.

Atualmente, as empresas públicas e em regime de concessão são as principais responsáveis pelo saneamento básico do país, utilizando alguns tipos de sistema de tratamento de esgoto para retirar todos os resíduos industriais, do comércio ou feito nas residências que foram depositados não água, que agora, está poluída. Esse tipo de limpeza no esgoto é muito importante para o bem-estar das pessoas e para a sobrevivência do ecossistema que existe no país.

Descarte

Muitas pessoas acham que despejar esgoto de qualquer maneira na natureza não vai lhes causar nenhuma consequência, entretanto, a água poluída pode afetar diretamente na saúde dos moradores daquela região. Proliferação de pragas e agente patogênicos são, principalmente, causadas por conta do descarte de esgoto irregular, ou seja, sem o saneamento básico é torna-se muito difícil manter uma vida saudável sem problemas de saúde.

Várias doenças podem ser transmitidas por contas das consequências da falta do saneamento básico, como a leptospirose, transmitida por ratos, por exemplo, que é um tipo de praga urbana, além das doenças que podem conter na água poluída. Por conta disso, cada vez mais as empresas de tratamento de água estão em busca de aperfeiçoamento no tipo de sistema de tratamento de esgoto utilizado em suas estações.

Além disso, o saneamento básico é um direito que foi assegurado a todos os cidadãos brasileiros em 2007, pela lei nº11.445/2007 que consta na Constituição Federal, incluindo todo o conjunto de serviços que constituem no saneamento básico. Coleta e tratamento de esgoto, drenagem urbana, manejo dos resíduos sólidos e de águas pluviais, controle das pragas e a distribuição de água potável para todos os habitantes do país.

Quais os tipos de sistema de tratamento de esgoto?

A origem desse esgoto pode ser tanto residencial, industrial ou do comércio e, independentemente de sua origem, a água com os resíduos necessita de tratamento para ser devolvida corretamente ao meio ambiente, sem causar grandes danos ao ecossistema ou aos munícipes. Com o devido tratamento, o esgoto pode ser retirado da água, que se torna própria para consumo e pronta para ser devolvida à natureza, ou seja, um produto que com o devido cuidado pode ser reaproveitado.

Existem vários métodos de despoluição da água, porém cada um é aplicado de acordo com as condições física, químicas e biológicas da água, incluindo, também, os recursos naturais existentes no local e o dinheiro que a cidade ou empresa pode disponibilizar para a implantação de um método de tratamento. Nas grandes cidades, é mais comum ver os métodos que incluem iodos ativados para a limpeza da água, uma das formas mais baratas e simples existentes.

Além dele, é muito comum ver o processo de despoluição chamado de Reator Anaeróbio de Fluxo Ascendente, onde o esgoto passa dentro de um reator fechado, onde ocorre a decomposição de toda a sujeira que há na água por meio das bactérias anaeróbicas com os iodos ativados, despoluindo até 75% da água, separando o líquido do sólido. Também existem os tipos de sistema de tratamento de esgoto baseados em lagoas: a facultativa, anaeróbica e maturação.

Método

Na lagoa facultativa são usadas bactérias aeróbicas que atuam na superfície, utilizando da fotossíntese e do oxigênio para oxidar os resíduos orgânicos, e anaeróbicas, que limpam o fundo da lagoa, que deve conter até 3 metros de profundidade. Enquanto o método anaeróbico a profundidade pode ser maior, de até 4 metros, por conta da necessidade de haver pouca incidência de luz para seu funcionamento, onde grandes quantias de matérias orgânicas são colocadas no esgoto para que o oxigênio consumido seja maior que o produzido.

Já o processo de despoluição d’água em lagoas de maturação, o esgoto é exposto a radiação ultravioleta do sol, necessitando que a lagoa seja mais rasa para conseguir eliminar as bactérias, podendo ter até 2,5 metros de profundidade. Também existe o processo de baias e valas de infiltração, onde a água passa por um filtro constituído por rochas, pedras e areias, instalado no subterrâneo, muito comum de ser visto em filtros caseiros par reutilização da água da chuva.

Por fim, outro tipo de tratamento de esgoto é o da Flotação, onde os tratadores adicionam na água poluída um tipo de coagulante, que vai desencadear um processo de pressurização no esgoto, causando bolhas que tem o trabalho de unir as partículas que estão localizadas na superfície.