12 . 3909-1300 contato@liderserv.com.br

Os canos dos condomínios entopem, principalmente, por dois motivos.

1) FALTA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA:

Dificilmente um condomínio que conta com um serviço anual ou semestral de cuidados com ralos e canos vai apresentar uma emergência. Por isso, muitos condomínios apostam em um contrato de manutenção com empresas do tipo. Elas fazem um trabalho de prevenção e, caso haja um problema durante o contrato, o mesmo é resolvido sem custo adicional.

Essa manutenção geralmente envolve uma limpeza de todos os ralos do condomínio, muitas vezes até os de dentro das unidades condominiais. Dessa forma, com toda a tubulação limpa uma ou duas vezes por ano, fica bem mais fácil evitar que os entupimentos ocorram.

2) DESCARTE INCORRETO DE MATERIAIS:

Pequenas coisas como fios de cabelo, absorventes, preservativos, papel higiênico, fraldas e até palha de aço, entre outros, que são jogados no vaso sanitário são os maiores causadores de entupimentos.

Um inimigo da tubulação: o óleo de cozinha

O descarte incorreto do óleo de cozinha também pode ser um grande problema para os encanamentos, pois vai se juntando a outros materiais por dentro dos canos e vai formando crostas. Eventualmente essas crostas impedem a água de passar pelo local, ocasionando entupimentos.

Além de ser um fator de risco para entupimentos, o descarte incorreto de óleo de cozinha também é prejudicial ao meio ambiente. Caso fosse jogado diretamente em um rio ou represa, um litro de óleo pode contaminar até um milhão de litros de água, além de comprometer também o solo do local.

Como evitar entupimentos em condomínio

Apesar de todos esses cuidados, nada garante que, mesmo com uma empresa fazendo a manutenção preventiva, seus canos nunca mais ficarão entupidos. O ideal é, além da manutenção, apostar na prevenção e conscientização dos próprios moradores, pois problemas como esses podem levar a grandes consequências e prejuízos a síndicos e moradores.

Como funcionam as tubulações

As tubulações funcionam da seguinte maneira: há uma entrada de água no condomínio. Essa água geralmente é distribuída por prumadas e depois por ramais, até chegar nos pontos de uso da água, como torneiras, chuveiros, máquina de lavar roupa, etc.

Nos condomínios mais modernos há dois tipos de encanamento de água: um que atende a cozinha e outro que atende aos banheiros e a lavanderia.

Na “saída” do condomínio, o encanamento da cozinha e lavanderia terminam na caixa de gordura, enquanto que a parte advinda dos banheiros termina na caixa de esgoto.

Caixa de gordura do condomínio

Em empreendimentos mais antigos não há o uso da caixa de gordura.

A mesma tem um papel importante: o de reter as gorduras (como óleos de cozinha, por exemplo), evitando que as mesmas sejam despejadas no esgoto.

Como a caixa guarda esse material, ela deve ser limpa periodicamente por uma empresa especializada e que deve possuir licença para descartar esse material em um local correto.

Caixa de esgoto do condomínio

A caixa de esgoto não retém nenhum tipo de material. É importante, porém, contar com uma manutenção preventiva uma ou duas vezes por ano para evitar um problema de entupimento bastante comum no local: as raízes de árvores que porventura cresçam próximas às caixas podem encontrar ali um local propício para crescerem e, assim, acabam impedindo o fluxo necessário de água no local.